Interviews » Atlas Goes Cycling with Eliseu on the “Rota por Lisboa em Ruinas”

February 13, 2016 by Levy Mealone

Atlas Goes Cycling with Eliseu on the “Rota por Lisboa em Ruinas”


In it for the view: Atlas correspondent climbs through a hole in the ceiling at Monsanto’s Restaurante Panorâmico. Story and pictures by Levy Mealone

em português
Da cobertura do Restaurante Panorâmico de Monsanto, a vista é esmagadora. Está um dia límpido e ameno – dois inauditos ciclistas entretêm-se a identificar pontos icónicos da sua cidade, depois de uma ascensão deslumbrada por esta singular estrutura espiralada, onde facilmente se perde o norte.

A reportagem do jornalista Tiago Carrasco para a revista SábadoAs Mais Belas Ruínas de Lisboa e do Porto – deu o mote. O Eliseu Almeida, arquitecto, ciclista e patinador no gelo, organizou um passeio de 21 km pela cidade de Lisboa; um circuito circular desenhado para visitar, em modo-passeio, alguns destes sítios abandonados. O ponto de encontro era o Largo do Intendente. E, assim, partimos para o desconhecido (não metafórico, mas muito real; pedalar, no geral, e no meio da cidade de Lisboa em particular estava, para mim, ao nível de uma missão interplanetária até Orion Beta).

in English
The view from the top of Restaurante Panorâmico de Monsanto is stupendous. The day is clear and mild. Two unlikely “cyclists” are identifying the iconic sights of their city following a spectacular ascent up an abandoned spiral structure that makes your forget which way is north.

The impetus for this adventure is Tiago Carrasco‘s report, “The Most Beautiful Ruins of Lisbon and Porto,” in  Sábado magazine. The organizer is Eliseu Almeida, architect, cyclist, and ice-skater, who’s put together a 21-km tour of the city of Lisbon that would take us to some of the abandoned places mentioned in the article. The meeting point is Largo do Intendente, from where our little group will set off for the unknown. And I don’t mean just metaphorically, I mean literally: cycling through the middle of Lisbon to this correspondent seems as far-fetched and exotic as an interplanetary mission to Orion’s Beta.

Find the Atlas reporter among the group at Cinema Pathé. Hint: That capacete is for climbing.

em português
“Eu costumo dizer que Lisboa é uma cidade plana, mas as pessoas não acreditam.” A vasta experiência e profundo conhecimento dos meandros da cidade permitem ao Eliseu montar percursos que evitam os grandes desníveis, as grandes ladeiras, as tão afamadas e temidas subidas da cidade. “Aproveitando as linhas de cumeada”, galgando a cidade pelas vias mais suaves e optando pelos trajectos menos óbvios é, de facto, possível pedalar pela cidade sem grande esforço.

Connosco estava também o Gonçalo Gouveia, famoso “ruínas-spotter” e administrador fundador da página do Facebook Lugares Abandonados. Há quase dois anos nestas andanças, o Gonçalo prospecta o país através do Google Earth, e já está um perfeito profissional. “Com cerca de 70% de taxa de sucesso”, sinalizam lugares potencialmente abandonados e percorrem o país para fotografá-los.

À comitiva juntou-se também o Gastão Brito e Silva, fotógrafo, autor do livro Portugal em Ruínas e do blog Ruinarte, onde se pode encontrar informação mais detalhada sobre alguns dos sítios visitados neste passeio.

Related Post:  Monsanto's Hidden Past

in English
“I tell people all the time that Lisbon is a flat city, and no one believes me,” Eliseu says reassuringly. Extensive hands-on experience and intimate knowledge of the city grid allow him to plan routes that avoid the steep slopes, the formidable hills, the famous intimidating ascents of the city. Taking advantage of the bike lanes, seeking out the more gentle uphills, and choosing less obvious routes can, in fact, make cycling in this town less of an undertaking, as I will find out.

With us today is also Gonçalo Gouveia, the famous “ruin-spotter” and founder of the Facebook page Lugares Abandonados (Abandoned Places). For almost two years, Gonçalo and his team of fellow explorers have prospected the country using Google Earth. “With about a 70% success rate,” he says, like a true professional, they pinpoint potentially abandoned places and travel (physically) to photograph them.

Also joining the entourage is Gastão Brito e Silva, photographer and author of the book Portugal em Ruínas and of the blog Ruinarte, where he hosts detailed information on some of the places on this tour.

You don’t need a Land Cruiser to go offroading – you can access this ruin somewhere in Carnide on your bike.

em português
Saídos do Largo do Intendente pela fresca e não sem enfiar imediatamente a roda da frente da bicicleta num carril do eléctrico; sim, porque sou uma pessoa que gosta de verificar pessoalmente os riscos associados às actividades que divulgo, paramos em frente do Hospital de Arroios – antigo convento construído no início do séc. XVIII, e onde alguns participantes ainda se lembravam de ter ido fazer radiografias em miúdos. Sem acesso ao interior, e subindo uma periclitante escada de madeira, contornámos o edifício por entre silvas e arbustos, numa experiência bastante rural mesmo ali na Almirante Reis.

Dali seguimos para a Vila Sousa, no Lumiar, uma imponente construção dos alvores do séc. XX, hoje reduzida à sua belíssima fachada e a uma extensa horta de couves ciosamente guardadas por um grande cão preto. (Por esta altura já tinha ido contra o passeio duas vezes, esfolado o tornozelo três, e proporcionado ao meu parceiro de aventuras momentos de verdadeiro deleite.) Adiante.

in English
I speed away from Largo do Intendente with the rest of the group, but not without first putting the front wheel into an eléctrico track; yes, because I am someone who likes to personally verify the warnings that come with the activities that I undertake. We stop in front of Hospital de Arroios, an old convent built in the beginning of the 18th century, where some of today’s tour participants still remember having their x-rays taken when they were kids. With no access to the interior of the hospital, we ascend a sketchy wooden stairway and circumnavigate the building through thistles and bushes — quite a rural experience for Avenida Almirante Reis.

From there we proceed to Vila Sousa, in Lumiar, an imposing construction from the dawn of the 20th century now reduced to its gorgeous façade and an extensive garden of collard greens jealously guarded by a large black dog. (By this point, I’ve hit the sidewalk twice, skinned my ankle three times, and was about on par with my partner’s own count of moments of adventure and true delight.) Moving along.

Related Post:  Rcicla

Restaurante Panoramico in Monsanto. A combination of beautiful views and potential danger since 1968.

em português
Passando por outros recantos arruinados da cidade,seguimos para Monsanto. Depois de um razoavelmente curto atalho a pique, com as bicicletas pela mão — o momento Rambo do passeio, e que nos permitiu gabar-nos aos amigos (afinal, galgámos Monsanto de bicicleta) — pedalámos até ao Restaurante Panorâmico de Monsanto. Apesar de já sobejamente fotografado e divulgado nos meios de comunicação, não deixou de nos tirar o ar. Um verdadeiro tesouro pop-surrealista digno de um filme do Dario Argento; ali mesmo, à mão de semear, à distância de uma vedação tombada e de um eventual encontro inócuo com as autoridades.

in English
Stopping by a few other ruins, we proceed to Monsanto. After a reasonably brief shortcut carrying our bicycles — the Rambo moment of the walk that’ll let us brag to friends that we did, in fact, summit Monsanto by bicycle — we pedal until we reach Restaurante Panorâmico de Monsanto. Despite the fact that it’s been widely photographed and pops up in all sorts of media, it still takes our breath away. A true pop-surrealist treasure worthy of a Dario Argento film, it’s not far from the surrounding fence — or from the inevitable encounter with the authorities.

The group considering the safety of the staircase inside the ruins of Restaurant Panorâmico.

em português
Percorrendo a cerca que delimita a propriedade ao longo da estrada, facilmente se encontram zonas onde ela está deitada abaixo, permitindo o acesso ao perímetro do edifício. Esta cerca é, no entanto, frequentemente reparada, pelo que é possível lá chegar e não encontrar uma passagem aberta. Mas fica a dica; a cerca não é alta. É, sim,altamente provável ter a polícia florestal à espera no regresso. Esta probabilidade é tanto maior quanto o tamanho do grupo – se forem avistadas várias pessoas na estrutura, é quase certo que apareçam para uma conversa pedagógica sobre segurança.

in English
Along the side of the property that abuts the highway, it’s easy to find sections of collapsed fence allowing easy access to the building. The fence is, however, frequently repaired, so it is possible to come one day and not find an opening. It’s not really an issue: the fence isn’t high. However, it’s also highly likely that the forest police would be waiting for you on your return. This probability rises exponentially for an adult in a group this size. If several people are sighted in the structure, it is almost certain that the police will appear, for at least a little lecture on the topic of safety.

Related Post:  Uncover Arrábida's Royal Secret at Palácio da Comenda

Safety first! Atlas stands atop the restaurant in Monsanto taking in the views of Lisbon.

Passando por Montes Claros, descemos Monsanto por trilhos de terra batida até à Ajuda, passando pelo Casalinho da Ajuda e pela sua curiosa gruta. Parámos no Palácio das Águias, também de fundação oitocentista, no Palácio dos Condes da Ribeira Grande, e daí pedalámos, vitoriosos (e cansados), até à LX Factory para o almoço. No regresso até ao Largo do Intendente a comitiva passou ainda pelo Palácio Almada-Carvalhais e pela Torre da Pela no Martim Moniz.

Passing Montes Claros, we descend Monsanto along a hiking trail to Ajuda, going by the Casalinho da Ajuda to check out the weird grotto there. We stop at the Quinta das Águias, which was also built in the 18th century, at the Palácio dos Condes da Ribeira Grande, and then proceed, victorious (and tired), to the LX Factory for lunch. On the return trip to Largo do Intendente, we pop by Palácio Almaida Carvalhais and the Torre da Pela in Martim Moniz.

Quinta das Águias, between Belém and Alcântara, waiting for Sotheby’s to find a buyer.

em português
O Eliseu, par além de naturalmente simpático e comunicativo, organiza periodicamente este tipo de passeios, sempre com temas diversos e interessantes. Espreitem o seu blog e estejam atentos aos próximos – vale a pena. Sendo eu o membro da família Atlas Lisboa menos adepta do ciclismo (que é uma forma eufemística de dizer que não me lembrava da última vez que tinha sentado o rabo numa bicicleta), fica claro que os passeios do Eliseu são, mesmo, para todos.

Fica um agradecimento muito especial à Bike Pop, por tão simpaticamente nos ter emprestado duas espectaculares Brompton! Com elas conquistámos Lisboa e tomámos Monsanto, montados em duas endiabradas máquinas que se arrumam, dobradas, em qualquer lado.

in English
Eliseu, an effortlessly friendly and outgoing personality, periodically organizes bike tours on a variety of themes. Take a peek at his blog and check out the next outing. It’s worth it. As the member of the Atlas Lisboa family least adept on two wheels (that’s another way of saying that I can’t remember the last time that I sat my butt on a bike), it’s clear that Eliseu’s tours are, really, for everyone.

Our special thanks to Bike Pop for so generously lending us two spectacular Brompton bikes! We conquered Lisbon and seized Monsanto, all atop two hellishly awesome machines that can be folded and thrown over the shoulder in no time.

To see more pictures from the tour, check out our facebook album here.


Bar Pérola

Ménage

By continuing to use the site, you agree to the use of cookies. more information

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close